Como os bebês devem dormir?

Posição correta, travesseiros, como tudo isso pode interferir no desenvolvimento da criança


O sono nos primeiros meses de vida pode ser um pouco complexo para as mães, pois a necessidade do bebê muda completamente a rotina de uma família, eles têm uma quantidade de horas de sono, uma posição melhor para dormir e até recomendações quanto aos travesseiros infantis.

Ser mãe não é tarefa fácil, ainda mais quando fazemos isso pela primeira vez. Mas os meses iniciais da criança em casa são difíceis tanto para quem está começando essa jornada que é ser mãe, quanto para quem já passou por essa fase algumas vezes.

Os pequenos possuem uma necessidade de horas de sono muito diferente da nossa e distribuída de forma irregular durante o dia. Quando recém nascidos o período de sono oscila entre 16 e 18 horas por dia, já quando a partir dos 2 meses até os 6, a média diminui para 14 até 16 horas, quando enfim, a partir dos 6 meses de idade até completar o primeiro ano de vida a média cai para 12 horas de sono.

 Segundo o ortopedista Dr. Artur da Fonseca, não existe a necessidade de colocar um travesseiro no berço do recém nascido. “A principal indicação é que ele repouse em uma superfície firme, plana e macia, de modo que a coluna fique bem acomodada. E apenas quando o bebê chegar ao 6º mês, o travesseiro pode ser incluído em sua rotina” explica o médico.

  Dr. Artur ainda ressalta que no berço o travesseiro deve preencher precisamente todo o espaço entre o colchão e a cabeça da criança, de forma a manter a coluna sempre alinhada e as vias respiratórias o mais livres possível.

A posição ideal de descanso da criança no berço durante o primeiro ano de vida é com a barriga pra cima, tanto nos cochilos durante o dia, quanto para o sono da noite. Estudo mostram que, dormindo nessa posição as chances de morte súbita são reduzidas em até 70% durante os primeiros 12 meses de vida do bebê.

Sobre tricoatres (577 Artigos)
Três mulheres tricotando sobre o universo feminino. Uma mãe, uma indecisa na vida e o último elo dessa tríade venusiana: uma jovem baladeira!