Consumo de doce durante a TPM traz sensação de bem-estar

alimentação, doces, tpm

Durante a rotina dinâmica e cheia de compromissos na vida da mulher moderna, aquele docinho pode ter papel fundamental para controlar as emoções. Mas por que esse é um componente que funciona tão bem em determinadas situações como na TPM (Tensão Pré-Menstrual), por exemplo?

Segundo a nutricionista Marcia Daskal, da Recomendo Assessoria em Nutrição – a oscilação hormonal durante a TPM é um fator determinante para maior procura pelo doce: “junto com as alterações hormonais que naturalmente acontecem no período que antecede a menstruação, há também uma queda no nível de serotonina. A serotonina é o neurotransmissor responsável pela sensação de felicidade, bom humor e bem-estar. Sua baixa explica sintomas como irritabilidade, variação de humor e aumento na fome, especialmente fome de doces, numa tentativa do organismo conseguir mais carboidratos, que aumentem a síntese de serotonina. Por isso, mesmo quem não costuma comer doces, na TPM se volta para o açúcar como uma fonte de bem-estar”, explica.

Após a ingestão do doce, é comum mulheres ficarem desconfortáveis e com o sentimento de culpa. Porém, a nutricionista afirma que esse consumo não é prejudicial à saúde, mesmo em casos de dieta. “O segredo está no equilíbrio. Qualquer ingrediente em excesso não faz bem. O açúcar em pequenas quantidades e associado a uma vida saudável é uma ótima fonte de prazer. O essencial é respeitar a vontade do corpo”, diz a nutricionista.

Para a especialista é melhor comer um doce quando se tem vontade, do que tentar enganar o organismo com outras opções, mesmo as menos calóricas.  Assim, o consumo se torna mais inteligente. “Normalmente, o que acontece é que as mulheres comem “o mundo” tentando driblar a vontade do doce e depois acabam não resistindo e comendo o doce por cima. Matar logo a vontade com um pouquinho do doce resolve o problema e economiza essas outras calorias desnecessárias”, afirma. 

“Para a mulher que está na TPM e sente muita vontade de comer doce, sugiro antes ou depois dos exercícios físicos, pois é um alimento útil para recuperação dos músculos. Se a pessoa não está se sentindo bem por causa da própria sensação pré-menstrual e/ou não fez os exercícios do dia, uma ótima saída é ingerir o doce depois de uma refeição, ou comer um salgado antes do doce para evitar os exageros”, completa Daskal.

De acordo com um estudo realizado pela Universidade de Tel Aviv, o consumo equilibrado de açúcar na primeira refeição do dia pode até ajudar na perda de peso. Isso acontece porque o metabolismo está mais ativo durante a manhã e tem mais facilidade em queimar calorias¹. Além disso, as principais características da TPM como ansiedade, alterações de humor, dores no corpo e mudanças hormonais podem levar ao estresse, que também é um fator de busca por alimentos doces. Uma pesquisa realizada pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo indicou que uma mulher estressada tem sete vezes mais vontade de comer um doce.

O cardiologista do Hospital do Coração (HCor) Dr. Daniel Magnoni ressalta que um doce traz, além do açúcar, nutrientes importantes para o bom funcionamento do organismo. “O carboidrato, por exemplo, é essencial e a falta dele pode deixar as pessoas mais agressivas e ansiosas. Também é necessário para o bom funcionamento do Sistema Nervoso Central, já que quando em falta pode causar sonolência e irritabilidade”.

A nutricionista Marcia Daskal finaliza reforçando a importância do equilíbrio. “Já é sabido, e muitas pessoas até acham repetitivo, que o sucesso está no consumo equilibrado. Retirar o açúcar da alimentação não é necessário e nem necessariamente mais saudável. Corre-se o risco de, quanto mais cortar, aumentar a vontade de comer, principalmente pela sensação de ‘proibido’. Para não exagerar na dose, a mulher pode fazer um diário do que ingeriu na semana, pois isso ajuda a visualizar os momentos em que o corpo mais pede o açúcar, como a TPM”, conclui a nutricionista.

Sobre tricoatres (560 Artigos)
Três mulheres tricotando sobre o universo feminino. Uma mãe, uma indecisa na vida e o último elo dessa tríade venusiana: uma jovem baladeira!