Mulher e atividade física nunca deveriam se separar!

Por Alex Adriano Gonçalves*


Sempre fui criado no meio de mulheres, e mulheres fortes e decididas viu? Não foi tão fácil descobrir desde pequeno que de frágil elas não têm nada. Minhas dezenas de tias, milhares de primas, minha mãe e minha irmã sempre participaram ativamente da minha vida e para completar veio minha sobrinha para abrilhantar ainda mais a participação delas no meu dia a dia. Sorte a minha.

Mas historicamente e culturalmente foram as próprias mulheres que não tiveram muita sorte. No esporte por exemplo, elas não podiam participar e nem ao menos assistir as provas dos Jogos Olímpicos na Grécia antiga. Elas foram proibidas de praticar exercício físico durante muito tempo, pois acreditavam que era prejudicial à saúde. Passaram-se longas décadas para que as mulheres pudessem disputar todas as provas consideradas olímpicas, pois até então achavam que elas poderiam não suportar os esforços exigidos por algumas modalidades esportivas. Triste engano. Não tinham ideia da força do sexo feminino.

Lamentavelmente, sabemos que o caminho para a igualdade e respeito em todos os campos da vida ainda é longo, mas graças as lutas das próprias mulheres algumas vitórias foram conquistadas, pelo menos no esporte. Hoje vemos mulheres competindo e se destacando dentro do meio esportivo com recordes e marcas históricas e muitas delas de deixar qualquer marmanjo de queixo caído. E no esporte adaptado então? Tivemos vários exemplos de superioridade das mulheres nas Paralimpíadas. Ê mulherada !!!

As mulheres por si só têm o corpo e o funcionamento do organismo mais complexos. Não vou entrar nos detalhes fisiológicos, mas apenas destacar que a atividade física para as mulheres interfere diretamente no perfil hormonal, na depressão psíquica após a menopausa, na melhora de pressão arterial e do humor, na prevenção da osteoporose, diabetes, etc, ou seja, todos aqueles milhares de benefícios que a atividade traz para o corpo e que você já deve saber. Só por essas razões, você já deveria estar aí colocando seu tênis e sua roupa confortável para dar uma caminhada pelo bairro, ou se animando para hoje à noite, antes do happy hour ou da baladinha, dar aquela corrida no parque, ou quem sabe combinar com a galera de passear de bike no final de semana.

E se for gestante? Não tem problema, a atividade física é uma grande aliada. Com o acompanhamento do obstetra, as grávidas podem e devem praticar atividades normalmente e regularmente, desde que não seja de alta intensidade claro. Os benefícios são muitos que vão desde a manutenção da aptidão física, a diminuição da tensão no parto, a melhora na recuperação pós-parto até a prevenção das temidas varizes nos membros inferiores. Hidroginástica e Pilates são as atividades mais procuradas pelas futuras mamães.

E se estiver na melhor idade? Atividade física também é recomendada nessa fase da vida, claro, sempre com acompanhamento do médico e de um educador físico. As mulheres acima de 60 anos estão cada vez mais aparecendo nas academias em busca de mais qualidade de vida.

Mas entre uma dica e outra, vem uma alerta. Com essa onda fitness, com a busca incansável pelo corpo perfeito e pela aparência ideal, tem muita mulher se aventurando nas academias por aí e muitas vezes sem acompanhamento de um profissional. Para ter bons resultados e sem riscos para a saúde é mais do que necessário realizar uma avaliação física antes de iniciar qualquer atividade, assim você já fica sabendo como está a sua pressão arterial, flexibilidade, porcentagem de gordura corporal, força, etc. E quem faz isso é um avaliador ou educador físico, que a partir daí vai conseguir montar um treino especifico de acordo com os objetivos e limitações de cada pessoa, para cada tipo de corpo. Muito importante também é o acompanhamento médico, com exames cardíacos e testes ergométricos, assim também é possível saber como o seu coração está se comportando e se aguenta determinada intensidade.

E falando de mulher e de treino, não podemos esquecer do dilema que enfrentamos todos os dias como educadores físicos: a mulherada SÓ quer e SÓ adora treinar membros inferiores, principalmente pernas e bumbum. Não generalizando, mas a maioria quer sair correndo quando é dia do treino de braço. Como educador físico tenho que ressaltar que, ok, pernão e bumbum durinho é o sonho de consumo de toda mulher, mas o treino precisa ser completo e balanceado. Muitas vezes não são necessários os mesmos estímulos para todos os grupos musculares, mas é necessário exercitar todos eles. Você não vai ficar com ombros grandes e nem as costas largas. Isso depende do treino que você faz. Existem várias formas e vários métodos de treino, basta o profissional separar os estímulos para cada grupo muscular e assim ter um maior ganho de massa nos membros inferiores, e um fortalecimento muscular e das articulações, nos membros superiores.

No geral é isso, mulher e atividade física tem tudo a ver e posso dizer novamente com convicção e com todas as letras que: A MULHER ESTÁ LONGE DE SER O SEXO FRÁGIL. Então, vamos malhar ??

ae7655ce-2d2d-4fb1-bb7b-546cbc62a5f1

*Alex Adriano Gonçalves, Educador Físico e um grande incentivador da prática de esportes e atividade física, seja ela qual for.

Formado em Educação Física e pós-graduado em Treinamento Desportivo, Alex já passou por diversas academias e assessorias esportivas, tem vivência em educação física e esporte adaptados e já jogou Basquete – sua grande paixão – pela faculdade e clubes da região do ABC Paulista, onde reside. Hoje, o Educador Físico divide seu tempo entre as aulas de musculação em academias, Personal Trainer e as aulas de Basquete para crianças e adolescentes.

Sobre tricoatres (571 Artigos)
<p>Três mulheres tricotando sobre o universo feminino. Uma mãe, uma indecisa na vida e o último elo dessa tríade venusiana: uma jovem baladeira!</p>