Retenção de líquidos: saiba como evitar


O corpo humano é composto por 70% de água. No entanto, algumas vezes, por diversas situações, o organismo retém água em excesso, o que resulta em inchaços que podem levar, inclusive, ao ganho de peso. Para falar sobre esse assunto segue abaixo entrevista com a Prof.ª Mestra Graziela Ramos B. de Souza, do curso de Graduação em Enfermagem e coordenadora do programa de pós-graduação lato sensu em Enfermagem na Assistência ao Adulto em UTI da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. 

A retenção de líquidos pode estar relacionada ao ganho de peso? Por quê?

Graziela: Sim. Como temos perdas e ganhos hídricos por várias vias, e quando há disfunção renal, um problema metabólico ou alteração na alimentação, poderá haver ganho hídrico. Se há um aumento de água no organismo, portanto isso irá refletir na balança. Esse ganho hídrico também é muito comum nas pessoas que têm disfunções renais, porque o principal sistema responsável pelo ajuste desses líquidos que ficariam em excesso é o sistema renal.

O que mais pode levar à retenção de líquido? 

Graziela: Alteração na dieta. É sabido que os alimentos industrializados têm muito sódio, sendo esse habitualmente o grande responsável. O sal, em termos de reações químicas, vai carregar com ele a água. Por isso, acabamos retendo mais líquidos em decorrência desse mecanismo.

Que tipos de alimentos ou bebidas devem ser evitados? 

Graziela: Em linhas gerais, recomenda-se evitar alimentos industrializados que tenham concentração de sódio. É o caso dos alimentos pré-prontos, como o macarrão instantâneo, tanto o tempero quanto o próprio macarrão, e a maioria das barrinhas de cereais, que muitos acreditam ser saudáveis. Além do sódio, muitas das que estão no mercado não têm valor nutricional e não favorecem o metabolismo – ou seja, o indivíduo ingere apenas açúcar. Quanto às bebidas, os grandes vilões são os refrigerantes, principalmente os chamados “diet” ou “zero” porque os fabricantes retiram o açúcar e colocam mais conservantes para manter o sabor, o que resulta em uma grande quantidade de sódio, como também ocorre com os sucos de caixinha.

Qual a quantidade de sódio recomendada por dia? 

Graziela: O ideal é cozinhar tudo sem sal e ao longo do dia, nas principais refeições, jantar e almoço, consumir somente o correspondente àquele sachê avulso de sal que encontramos nos restaurantes. Um só desses para cada uma das refeições é o suficiente.

Sabemos que beber água ajuda no controle do inchaço. Qual é o consumo recomendável por dia? 

Graziela: De forma geral, um indivíduo adulto deve consumir 2 litros de água por dia. É possível, no máximo, colocar uma folha de hortelã, para dar um “sabor” e nada além disso. Essa água que ingerimos promove um rearranjo hídrico no organismo. Os rins vão ter mais fluxo de sangue porque aumenta a volemia (volume sanguíneo) em decorrência da hidratação. O consumo de água hidrata melhor o tecido, o líquido fica no vaso, onde deve ficar, melhora a perfusão renal, e, com isso, é possível eliminar a água na medida certa.

Além de beber água, praticar atividade física ajuda a evitar a retenção de líquido? 

Graziela: Na verdade, o exercício físico é muito bom para tudo no nosso organismo. Quando praticamos atividade física, modificamos todo o nosso metabolismo. E estamos falando de metabolismo de água também. Se há uma melhora metabólica global, há uma melhora metabólica de água.

E quando há essa retenção de líquido, tem partes específicas do nosso corpo que ficam mais inchadas? 

Graziela: Sim, isso é muito refletido nas saliências ósseas, como o maléolo, que são os ossos provenientes do pé, o calcanhar, o calcâneo.

Sobre tricoatres (571 Artigos)
<p>Três mulheres tricotando sobre o universo feminino. Uma mãe, uma indecisa na vida e o último elo dessa tríade venusiana: uma jovem baladeira!</p>