Seis atitudes que podem sabotar qualquer carreira


Ter uma carreira de sucesso requer, por parte do profissional, ter um planejamento que mostre aonde a pessoa quer chegar, de que maneira, em quanto tempo e o que deverá ser feito para alcançar o objetivo, como cursos, coaching, mentoria, etc. Porém, podem surgir obstáculos pelo caminho e eles podem ser apenas consequências do comportamento no ambiente de trabalho.

De acordo com a equipe da Thomas Case & Associados, consultoria especializada em soluções em gestão de pessoas e carreiras com 40 anos de atuação, é importante fazer uma auto-avaliação para entender se, de alguma maneira, o profissional não está sabotando a própria carreira ao adotar esses comportamentos.

Confira alguns comportamentos para evitar sabotar a própria carreira:

– Não saber trabalhar em equipe: o individualismo e pensar apenas em si é extremamente prejudicial especialmente no caso de profissionais que precisam trabalhar integrados com outros colaboradores e áreas da empresa;

– Falta de ética: não saber guardar segredo sobre aquele projeto confidencial da empresa ou mesmo criar intrigas entre colegas são atitudes que normalmente prejudicam os profissionais;

– Ser acomodado ou extremamente competitivo: Os dois extremos são prejudiciais. Permanecer na zona de conforto, não investir na carreira por meio de cursos de reciclagem, pós-graduações e idiomas é encarado como falta de interesse no crescimento especialmente na Era do Conhecimento, em que as mudanças nos mercados acontecem com tanta velocidade. O mesmo vale para o profissional extremamente competitivo, que vai às últimas consequência – inclusive pode puxar o tapete de um colega – para alcançar objetivos.

– Não ter disciplina: não cumprir prazos, chegar atrasado, pouco comprometimento com a companhia e falta de foco com o trabalho são aspectos levados em conta para o desenvolvimento de qualquer carreira;

– Não cultivar relacionamentos: o networking é extremamente importante, seja interno ou externo (com colegas de empresa ou com fornecedores, por exemplo). É a rede de contatos que auxiliará o profissional a desenvolver atividades em prol da empresa. Ninguém faz nada sozinho.

– Ser negativo: ser contra iniciativas e ideias da empresa e se “rebelar” contra ações e atividades mostra que o profissional não está alinhado e não quer participar do crescimento da companhia. Discordância, claro, pode ser positiva, mas negatividade está em outro patamar e merece atenção.

Sobre tricoatres (571 Artigos)
<p>Três mulheres tricotando sobre o universo feminino. Uma mãe, uma indecisa na vida e o último elo dessa tríade venusiana: uma jovem baladeira!</p>